.

.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Campo Alegre se livra dos "paredões"

Parabéns ao Juiz da Comarca de Campo Alegre,  André Gêda, que proibiu o uso dos "paredões" durante o Carnaval deste ano, na cidade do Agreste alagoano. "Todo aquele que desrespeitar as determinações contidas nos artigos acima, responderá pelo crime de desobediência (ar. 330 do CP) e abuso de instrumento sonoro (art.42, III, Lei n° 3688/41), sem prejuízo de outras sanções legais cabíveis", diz a portaria publicada no último dia 20.


Paredão: potência que falta ao dono é levada para as ruas


Para quem não sabe, "paredões" são aquelas caixas sonoras imensas, com uma potência muito maior do que a do proprietário, que azucrinam a vida de todos. Mesmo sendo época festiva, o som demasiado alto prejudica as outras pessoas. É Carnaval, sim, mas ainda nesta  fase do ano pessoas querem dormir, descansar, ver TV etc. Os que gostam de som alto têm a oportunidade de colocar um headphone no ouvido e topar o volume. 

Considero o paredão uma forma tola de exibição. Uma coisa antiga, quando a tecnologia não era adiantada e quem possuía um som potente queria mostrar para os outros o equipamento. Como dizia Sabino Romariz, "Hoje todo bicho de rabo tem um som de grande potência".

Por que os times de futebol têm 11 jogadores?

Por SUPER Interessante
 
 
Onze atletas e um destino
 
 
A primeira versão diz  que o número seria uma homenagem aos 11 colégios que participaram da reunião que determinou as regras do esporte em 1863, na Inglaterra. A segunda diz que 11 era a quantidade de atletas nos times da Universidade de Cambridge, também na Inglaterra, a primeira a publicar as definições básicas do jogo. Na época, cada classe tinha apenas dez estudantes. Os times, porém, eram completados por um 11º atleta: o bedel (inspetor de alunos) de cada classe, para quem sobrava a ingrata tarefa de ficar no gol. “Essa é a versão aceita pela Fifa, a associação que define as regras do futebol no mundo”, afirma o ex-árbitro Emídio Marques Mesquita, instrutor da entidade. Antes das primeiras regras, não havia padronização: há registros de partidas com até 17 jogadores! O certo é que o número 11 foi adotado já no Século XIX e até hoje permanece entre as 17 leis que regem o esporte.

Régis: um caso para ser lamentado

Régis não jogará mais pelo CSA. O clube divulgou comunicado no qual informou que o atleta não faz mais parte do elenco. O lateral foi dispensado após ter se envolvido em polêmica na madrugada da última segunda-feira. O atleta chegou a ser detido pela polícia após confusão na porta de um motel em Maceió. O ocorrido acabou levando à dispensa, já que havia uma cláusula no contrato que dava o direito ao clube de liberar o atleta caso o mesmo fizesse qualquer coisa que expusesse a imagem do Azulão de forma negativa. Régis já havia tido uma saída conturbada do São Paulo, confessando problemas com dependência de álcool e drogas. Em Maceió, Régis chegou a fazer sete jogos, marcando dois gols. Em campo, era boa opção no time, mas fora dele...

Texto retirado de ogol.com.br
https://www.ogol.com.br/news.php?id=243601
Lamentável  a dispensa do lateral  Régis, que chegou para se recuperar no CSA. Teve chance, mas não aproveitou. A força do álcool e das drogas falou mais alto. Depois de fazer bobagem, ao tentar invadir um motel, em Maceió, caiu na letra fria do contrato que assinou com o Centro Sportivo, que dizia que em caso de atitude fora do campo que maculasse a marca CSA, seria automaticamente dispensado. Foi o que aconteceu. 


Régis perde mais uma chance para recomeçar


Torcemos para que encontre outra oportunidade em um novo clube, afinal, tem um futebol expressivo. Precisa apenas de um pouco mais de juízo e força de vontade para vencer o vício. Perde o futebol com a fraqueza de mais um ser humano arrebatado pelo mal do século. Que encontre força para se levantar!

Asa renasce

E depois da vitória por um a zero sobre o CRB o Asa está de volta ao Alagoano de 19. Tida como provável equipe rebaixada para a Segunda Divisão, o alvinegro respira no campeonato e já sonha com a classificação. A equipe, agora, soma 6 pontos e ocupa a sexta posição na tábua de classificação.


Asa aposta no goleiro Marcão para parar o ataque do CSA (Foto: Gustavo Henrique/CRB)


Apesar da melhoria na competição, entendo que é cedo para se festejar. Claro que a classificação, à luz dos números, voltou a ser meta, mas é preciso menos ufanismo e mais trabalho e dedicação. Buscar o melhor sempre será objetivo para qualquer equipe, entretanto os desafios deverão ser encarados com responsabilidade e profissionalismo. Achar que pelo fato de ter ganho do CRB, também vai ganhar do CSA, pode ser enganoso. Tudo só se decide dentro do campo, e até onde sabemos, o Centro Sportivo - independente de qualquer coisa - é infinitamente superior ao Asa. Isto é fato e não pode ser negado. Agora não significa que a Agremiação de Arapiraca não possa desbancar o adversário, em Maceió, no próximo dia 13. Uma coisa de cada vez e o respeito acima de tudo. 

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Acea recebe


Fernanda Medeiros e Márcio José também são Acea

E o adesismo à Associação de Cronistas Esportivos de Alagoas segue forte. A jornalista Fernanda Medeiros (Gazeta) é mais uma que já assinou a ficha de filiação. Outro que está se mudando para a Acea é o competente repórter Márcio José (Pajuçara/Arapiraca), que em conversa conosco confirmou a vinda para a Associação. Sejam todos bem-vindos!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

"Homem de Pedra" está no gelo

Ficou barato para o zagueiro Willames José (Asa) a suspensão de quatro jogos por ter agredido com um tapa no rosto o atleta Willian (Ceo), na partida entre Ceo x Asa, disputada no dia 27/01/19, no Estádio Edson Matias, em Olho D'Água das Flores. Pela atitude foi apanhado pelo artigo 254-A do CBJD, que prevê pena de quatro a 12 partidas de suspensão. Como podemos constatar, pegou pena mínima. 


Willames José poderá não vestir mais a camisa do Asa no Alagoano de 19


Ainda cabe recurso da decisão, mas vale lembrar que, em caso de apelação, ela pode ser amenizada ou aumentada. Vide o caso Olívio (CRB). De tudo isso podemos concluir que o "Homem de Pedra" precisa ser mais maleável em campo. Se não mudar poderá passar muito tempo no gelo.

E agora, Asa?

Louvável a iniciativa do Asa de reforçar o elenco para a reta final do Alagoano e tentar escapar do rebaixamento. Atualmente o alvinegro ocupa a lanterna do campeonato. A pergunta que fica é: quem são estes reforços que chegarão e se eles têm a capacidade de em apenas três jogos mudar a história da Agremiação no certame? E atenção! O último dia para regularizar atleta é o útil anterior ao início da 7ª rodada da Primeira Fase, ou seja, dia 17 de março. Só que o Asa precisa de reforços para ontem e não  há tempo para esperar pela data estipulada na norma maior do campeonato.
 
 
Conversar apenas não adianta mais, é preciso ação e precisão (Foto: Asa)
 

Pode até acontecer de o Asa escapar, mas não existe milagre no futebol. Será necessário para os novos jogadores, tempo de adaptação à cidade e ao certame. O entrosamento é outro fator que não podemos descartar. Se os contratados fossem Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar, Filipe Coutinho, Gabriel Jesus, Ganso, entre outros, até que o milagre poderia acontecer dado a qualidade de cada um dos citados. 
 
Mas o caso é completamente diferente. O dinheiro é escasso. Diante disso seria necessária uma garimpagem muito bem feita no mercado da bola. Infelizmente não há tempo para isso. Não há como fazer contratações cirúrgicas devido a urgência. E todos sabemos que o que é urgente é porque não foi feito com a devida antecedência. 

Não quero procurar culpados. Peço apenas um pouco mais de profissionalismo na hora de montar o elenco para a Série D. Se repetir o que foi feito para o Alagoano a possibilidade de tragédia aumentará vertiginosamente. Agora só nos resta torcer para que os que estão à frente do Asa possam ser cartesianos no que fazem. Amém!

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Paulinho Guedes vai deixar o Sindicato dos Radialistas

Paulo Guedes está, mais uma vez, no comando do Sindicato dos Radialistas de Alagoas. Foi reeleito no último dia 14 para um mandato de três anos. Esta é a terceira eleição de Guedes. O curioso é que votaram apenas 79 pessoas, 67% dos associados.


Paulinho Guedes entra no terceiro e derradeiro mandato


Em conversa com o Blog, Paulinho disse que o Sindicato tem no momento apenas 118 filiados, muito pouco para o número de radialistas aptos a trabalhar em Alagoas. E atenção! Duas revelações bombásticas de Guedes: "É o meu último mandato à frente do Sindicato e na próxima eleição da ACDA serei candidato a Presidente", falou ao encerrar a conversa conosco.

Acea encorpa com novas filizções

A Associação de Cronistas Esportivos de Alagoas celebra a chegada de novos integrantes da crônica-esportiva alagoana para compor o quadro de associados da entidade. Na tarde dessa segunda, 18, na sala da Associação, no Estádio Rei Pelé, assinaram a ficha de filiação personalidades como o Diretor-Geral da Rádio Difusora/MCZ, Jorge Henrique (Borjão); a repórter Charlene Araújo; o radialista Wando Morais; além dos repórteres Silvânia Souza e Rony Santos. Outro que confirmou adesão à Acea foi o apresentador Oscar de Melo (TV Pajuçara).



Cronistas felizes após filiação à Acea


O evento de filiação contou com a presença da Secretária de Estado do Esporte, Lazer e Juventude do Governo de Alagoas, Cláudia Petuba e do Secretário-Executivo de Esporte Lazer e Juventude, Charles Hebert. "Estamos muito felizes com a vinda destes grandes nomes da nossa crônica. A chegada deles é uma prova de que confiam e acreditam no trabalho que estamos desenvolvendo na entidade junto com toda a diretoria", disse o Presidente da Acea, Jorge Moraes.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Mais uma vez o Asa visita a zona do rebaixamento

E o que Arapiraca não queria, aconteceu. O Asa está na lanterna do Alagoano deste ano. E o pior. O alvinegro tem apenas mais três jogos na competição, sendo os próximos contra CRB e CSA, justamente os clubes que lutam pelo título do campeonato. 


Marca Asa perde força


Ninguém quer o pior para o Asa, mas o momento é crítico. Depois de experimentar rebaixamento no Brasileiro, caindo para a Série D, disputar a Segunda Divisão do Alagoano significará ser um time fora de série e fechar as portas depois da D deste ano e só voltar a abri-las no segundo semestre de 2020. É bom ficar de olhos abertos, com uma visão 20/20, sob pena de 2020 ser terrível para todos os envolvidos com o futebol em Arapiraca.

A casa não pode cair

"O brasileiro só fecha a porta depois da casa invadida.". Mais do que nunca este adágio popular está em vigor. Depois do incêndio no CT do Flamengo as autoridades ditas competentes empreenderam uma cruzada por todo o Brasil e estão investigando a documentação dos clubes que possuem centro de treinamento. O mesmo modelo usado quando do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria-RS. Foi um tal de vistoriar tudo quanto era casa noturna no país inteiro. Passados alguns meses, as coisas voltaram à normalidade e a fiscalização foi deixada de lado. Agora é o futebol que passa pela mesma situação.


CT do CSA


Trazendo o caso para Alagoas, seria bom que CSA e CRB se antecipassem à fiscalização, já que o Regatas construiu um CT recentemente e o Centro Sportivo efetuou reformas no Mutange. E para funcionar com tudo regularizado uma  coisa é fundamental. O habite-se e o alvará de operação. Se tem os dois documentos atualizados, muito provavelmente tudo está certo.


CT do CRB


Diante do fato sugerimos que os dois grandes de Alagoas publiquem a documentação nos respectivos sítios-eletrônicos. Já seria uma forma de acalmar todos os envolvidos com o assunto. Não acredito de forma nenhuma que os dois estejam sem a documentação, principalmente o CRB que construiu uma estrutura inteira para abrigar o profissional e a base. Para mim seria impensável inaugurar o CT sem o alvará e o habite-se, até porque a Prefeitura da Barra de São Miguel não permitiria que tal fato acontecesse. Então é simples. Publica a documentação e acaba com a especulação, afinal de contas a casa não pode cair.
 

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Classificação na segunda fase da Copa do Brasil só com vitória

Já está definido pelo chaveamento da Copa do Brasil que o jogo do CRB com o Goiás, pela segunda fase da competição, será disputado, em Goiás, visto que no sorteio inicial o CRB ficou no Grupo 24, enquanto que o Goiás integrou o 23. Falta a CBF definir a data do jogo. Existem três prováveis: 20/02, 27/02 ou 06/03. 


Goleiro Edson Mardden vai voltar ao Planalto Central, agora para enfrentar o Goiás


Goiás x CRB se enfrentarão em jogo único, não havendo vantagem do empate para nenhum dos dois. Se ao final dos noventa minutos o placar  apontar igualdade, a classificação para a terceira fase será decidida através da cobrança de tiros-livres da marca do pênalti. É o que diz o regulamento.

Alagoas está vestida de vermelho e Branco na Copa do Brasil

O CRB é a única entidade de prática desportiva a seguir representando o Estado de Alagoas na Copa do Brasil. O feito foi conseguido nessa quarta, 13, ao empatar por zero com o Brasiliense, em Brasília, no Boca do Jacaré. Na segunda fase o Regatas vai enfrentar o Goiás, que se classificou ao vencer o Sergipe por dois a zero, também nessa quarta, 13, no Batistão, em Aracaju. O CRB avançou de fase, visto que era beneficiado pelo empate, conforme o regulamento da competição.


Cotas da Copa do Brasil  2019


E por falar em regulamento,  ele é claro. O CRB participa como egresso do Estadual, estando incluído na competição pelo critério 2. Sendo assim, pelo que entendo, a cota de participação na primeira fase é de R$ 920 mil e não de R$ 525 mil como todos pensam.


Extrato do Regulamento da Copa do Brasil


O CRB participa na condição de vice-campeão alagoano e por isso, conforme o regulamento, integra o critério 2, onde estavam também CSA e Asa. Independente de critério, toda a nossa torcida, em Alagoas, volta-se para o alvirrubro. Alagoas está vestida de vermelho e branco e desejamos vida longa ao CRB em mais uma competição nacional.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Tá sobrando jogador no CSA

Segundo dados do sítio-eletrônico oGol, o CSA conta hoje com 36 jogadores no elenco profissional. Em entrevista à Rádio Difusora, o dirigente Raimundo Tavares disse que o clube ainda vai em busca de mais reforços. Fala-se em dois volantes, um meia e um atacante de beirada. Contratados, os quatro elevariam o plantel para 40 atletas. São quase quatro times à disposição do técnico Marcelo Cabo.


Zagueiro Ronaldo Alves uma das mais recentes contratações do CSA (Foto: E.Borba/GE)


Entendo que um número excessivo de jogadores não ajuda o trabalho. Há muita insatisfação por parte dos que não são relacionados para os jogos, mesmo sendo permitido levar 12 profissionais  para a casa-mata. Diante do fato e sabendo que ainda serão necessárias outras contratações pontuais para o Brasileiro da Série A, não restará outro caminho ao CSA, senão dispensar jogadores. O quadro terá que ser enxugado para que sobrem apenas os mais qualificados. Mas isso não é problema meu. A direção e o comando técnico é que terão que encontrar o melhor caminho. A nós alagoanos resta apenas torcer pelo sucesso do Centro Sportivo no Brasileirão, afinal, todos os envolvidos com o futebol serão vitoriosos se o único representante de Alagoas na principal divisão do futebol brasileiro conseguir fazer uma campanha vitoriosa.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

A luta do Asa para não cair

Acompanho com preocupação a situação do Asa no atual Campeonato Alagoano de Futebol Profissional. O representante de Arapiraca é o vice-lanterna com míseros 3 pontos, resultado de três empates, o que coloca o alvinegro  à frente apenas do Murici.

 
Técnico Nedo Xavier: olhar diferenciado para salvar o Asa do rebaixamento (Foto:Asa)

O mais preocupante é que faltam apenas 3 jogos, onde dois deles são contra CRB e CSA, clubes que lutam pelo título. Neste momento chegamos a triste constatação. Mesmo sabendo que matematicamente ainda existem chances de o Asa terminar a fase em primeiro lugar, exatamente por enfrentar dois times que estão no G4 - CRB e CSA -, o mesmo fator joga contra o Asa por conta da força dos dois grandes de Alagoas. Lamentavelmente, sem querer ser pitonisa, desta vez tudo indica que a Agremiação lutará para se manter na Primeira Divisão. Um golpe para uma equipe que era considerada a terceira força, apesar de que, em Arapiraca, todos colocam o Asa em pé de igualdade com CSA e CRB, o que, na prática, não corresponde à realidade. 

Torcedor foge do estádio e renda decepciona

O público pagante de 8.964 torcedores, registrado no clássico CSA 0x0 CRB, válido pelo Alagoano 2019, desse domingo, 10, disputado no Estádio Rei Pelé, em Maceió, poderia ter sido muito maior. Conheço pessoas que desistiram de ir ao Trapichão depois de saberem das providências para o jogo.


Público no clássico ficou abaixo do esperado (Foto: L. Mendes/GE)


Ao serem informados no número de policiais que fariam a segurança do jogo - 646 - estes torcedores ao invés de se sentirem mais seguros, interpretaram os números como sendo um efetivo deslocado para uma praça de guerra. A reação foi ficar em casa. Outro fato que afastou os amantes de CSA e CRB foi a interdição do trânsito às 13h. Pensando em comodidade, e sem querer sair de casa antes do meio-dia para esperar por um jogo que somente começaria às 16h, a solução foi ver, ao vivo e em cores, na tela da TV Gazeta.

Entendo a segurança, mas é preciso que se encontre uma fórmula que mantenha a tranquilidade e não prejudique o acesso do público. Caso contrário, cada vez mais pessoas preferirão ficar na comodidade do sofá a ir ao estádio. Infelizmente os vândalos continuam vencendo.

Marca CSA mais valorizada que a CRB

O mercado é implacável. Valoriza quem está na crista da onda e maltrata quem está no vale. Pois assim é com as camisas de CSA e CRB. Os preços refletem a situação temporária das duas equipes no Brasileiro da Série B. CSA na segunda posição com 19 pontos e o CRB na vice-lanterna com míseros 8 pontos. 


Uniforme do CSA um pouco acima do CRB

A diferença entre um e outro está nas lojas de material esportivo. A camisa do CRB está em promoção, sendo vendida por R$ 129,99, enquanto que a do CSA pode ser adquirida apenas por R$ 189,99. Isto significa que para o mercado o manto do CSA está mais valorizado que o do CRB em 46,16%. 

Toda nossa torcida para que o Regatas se recupere e reaja dentro da B, visto que, além da parte técnica da competição e da alegria da torcida vermelha de Alagoas, em última análise a ascensão do CRB representa mais dinheiro no caixa do Clube. Todos juntos e irmanados com o Galo.

Cuidado com o jacaré!

O CRB inicia a participação na Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, 13, às 16h30min, em Brasília, horário local. O jogo será contra o Brasiliense, no Estádio Elmo Serejo Farias, também conhecido por Serejão e Boca do Jacaré. 


O Boca do Jacaré está pronto para receber Brasiliense x CRB


E é na alcunha da praça esportiva que reside a questão. Muita gente quando anuncia o evento diz que o CRB vai jogar na Boca do Jacaré. Ora meu Deus! Será que o jacaré vai permitir 22 jogadores correndo dentro da boca dentada que possui! Claro que não. Evidente que ninguém vai jogar na Boca do Jacaré. A partida será disputada no Boca do Jacaré, ou seja, no estádio conhecido por Boca do Jacaré. Trata-se apenas de uma figura de linguagem conhecida por silepse de gênero. Em tempo. A silepse é caracterizada por estabelecer concordância não com as palavras que compõem a frase, mas com a ideia que se pretende transmitir ou com termos subentendidos.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Tiro-Livre

Pioneira investe no esporte para resgatar audiência


Muito boa a iniciativa da Difusora AM/MCZ de aumentar em meia-hora o noticioso esportivo Tiro-Livre. O programa ancorado por Costa Cabral, já está indo ao ar entre 7h e 8h. Ganha o torcedor um tempo a mais de informação, justamente na hora em que está se deslocando para o trabalho. Sou um deles. Parabéns pela boa ideia!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Troca de casa

O comentarista Jorge Moraes está de volta aos microfones da Rádio Gazeta/MCZ. O retorno em jornada-esportiva será no próximo domingo, 10, quando do Clássico das Multidões, entre CSA x CRB, válido pela quarta rodada do Alagoano. O dia a dia já conta com a participação do experiente profissional.


Jorge Moraes: segurança por trás do microfone


O último trabalho de Moraes  foi na Pajuçara/MCZ, onde ao lado de Marlon Araújo foi responsável pelas opiniões da emissora. Ganha a Gazeta com a experiência do radialista/jornalista, conhecido pelas posições fortes e seguras que transmite. Sucesso ao Presidente da Associação de Cronistas Esportivos de Alagoas no novo desafio!