.

.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Sindicato pede e Bolsonaro nega

 
Bolsonaro tem sinalizado distância do mundo sindical

Todos sabemos que o Presidente, Jair Bolsonaro, não morre de amores pelo movimento sindical, principalmente depois que os sindicatos se transformaram em extensão de um determinado partido político. Diante disso não acredito ser possível alguém do partido do Presidente (PSL) conseguir emplacar uma cadeira para alguém que venha indicado pelos "líderes" sindicais. Seria o mesmo que um soldado dar ordens a um General. Tenho dito.

Tá no ar

Confesso não entender o porquê de tanta sonora (gravação feita com alguém para ilustrar uma reportagem) repetida. Muitas vezes, um material que foi ao ar na sexta-feira ainda continua sendo veiculado na terça-feira da semana seguinte. O ouvinte chega a decorar o que é falado.


Grava e repete, e repete, e repete, e repete


Sem saudosismo e apenas lembrando os tempos áureos do rádio, quando uma sonora ia ao ar duas vezes, o responsável pela repetição era chamado para explicar o motivo de não ter apresentado um material mais moderno. O repórter era instigado a ter sempre uma novidade para apresentar, afinal de contas, notícia é o que é novo, senão não seria notícia.

E quando repetir uma sonora? Quando se tratar de um fato de extrema relevância, um ponto fora da curva, um acontecimento gigantesco. Exemplo: a fala de uma pessoa que matou um Presidente da República. Mas, atenção! Somente no primeiro momento é que vai ao ar na íntegra. Na chamada "suíte" (notícia que desdobra fatos), as  descobertas são passadas, e como forma de ilustrar, faz-se referência ao acontecido e pode-se repetir a parte principal da fala do assassino. Por exemplo. O momento em que o bandido conta como atirou, esfaqueou a vítima etc, para que em seguida um psicólogo, psiquiatra faça uma análise do que foi dito. Dá trabalho, mas o material fica muito mais interessante para a audiência.

Repetição chata


O que mais escuto na mídia recentemente é a tal da redundância. A coisa tá tão séria, que dificilmente durante uma fala não surge uma expressão do tipo: encarar de frente; há anos atrás; foco principal; objetivo maior; elo de ligação; panorama geral; consenso geral; fatos reais; o total do todo etc. O que estaria acontecendo?


A redundância agride a audiência



Entendo ser falta de leitura e ajuda dos mais experientes. Sou do tempo em que o líder corrigia os maus hábitos, ensinando e explicando a forma correta. Todos saíam no lucro. Sonho com o tempo em que ao pensar em falar em público, antes o futuro falante dedicasse um tempo para acariciar a última flor do lácio, afinal é hora de focar na concisão e na objetividade.

Menos pontos para fugir do rebaixamento na Série A

Com o encerramento dos jogos de ida, do Brasileiro da Série A, já temos uma amostra segura para calcularmos o número de pontos que salvará uma equipe do rebaixamento. Vamos tomar por base o índice de aproveitamento do décimo-sexto colocado, que encerrou a "primeira fase" com 31% de rendimento.

Mantido o percentual, podemos afirmar que o time que atingir 38 pontos estará garantido na Série A do próximo ano. E atenção! Até mesmo com um ou dois pontos a menos, também poderá sobreviver.

Em anos anteriores o ponto de corte foi mais alto, mas neste ano, em função da queda do aproveitamento das equipes, a navalha está mais "generosa". 
 
 
CSA vai ter que mandar a bola p'ra frente para permanecer na A (Foto: MP/Ascom CSA)

 

CSA
 
Para o CSA - representante de Alagoas na elite do futebol brasileiro - será necessário somar mais 22 pontos em 19 jogos, o que significa dizer, ter um aproveitamento de 39% nos jogos restantes. O Centro Sportivo terá que subir 11 pontos percentuais em relação ao rendimento apresentado até o momento.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

CSA fecha ciclo de contratações

CSA não contratará mais para a sequência da Série A, mas haverá dispensas. Os jogadores que sobrarão no elenco ainda não sabem e a diretoria do Centro Sportivo sequer anunciou. O Blog conseguiu saber que os dois atletas são Gamarra e Maranhão. Vamos aguardar.


Argel diz que é hora de arregaçar as mangas e lutar pela permanência


Quanto ao elenco, o treinador, Argel Fucks, aposta nos jogadores que estão em casa e está convicto de que o time não será rebaixado. Inclusive já falou isso para o dirigente, Raimundo Tavares.