.

.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Uma saída, uma mágoa, um agradecimento

Locutor-esportivo Ricardo Carvalho não integra mais o time da Difusora/MCZ. Deixa a Emissora Oficial do Estado com uma pequena mágoa por ter sido surpreendido com a presença de um outro narrador (Wellython Martins), na condição de "convidado especial". Carvalho, que não é do quadro do Instituto Zumbi dos Palmares, ao qual pertence a RD,  estava aguardando resposta da direção da Rádio para receber uma ajuda de custo, visto que havia perdido o patrocinador que pagava o salário dele e estava trabalhando no famoso 0800. A falta de uma satisfação por parte da Difusora é o único motivo para a leve insatisfação.


Carvalho em um "tubão" na Difusora

Chateação à parte, aproveitou  para agradecer o tempo em que ocupou os microfones da 960. "Só tenho a agradecer pela oportunidade que foi me [sic] dada, para mostrar o meu trabalho, mas acho que é hora de procurar outros ares, o rádio é assim mesmo não foi a primeira vez nem vai ser a última vez que isso acontece, a rádio é do estado [sic] e única maneira de ter segurança seria através de concurso", escreveu, via MSN ao Blog.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Sobrou para o torcedor

O artigo quinto do Estatuto do Torcedor diz que "É vedado proceder alterações no regulamento da competição desde sua divulgação definitiva". Isto já é suficiente para o Ceo ingressar com ação na Justiça pleiteando a permanência no Alagoano da Primeira Divisão. É que a Federação Alagoana de Futebol mudou o critério de pontos para percentual já com o campeonato em andamento, constituindo desrespeito à lei maior.


Resolução da FAF foi extemporânea

Resolução 02/2015 (Resolução do Percentual) foi publicada em 13 de março de 2015, portanto, agride a Lei 10.671/03. Agora resta saber se o Ceo vai lutar pela permanência, ou em nome da "boa convivência"  vai deixar o peso do rebaixamento sobre as cabeças do povo de Olho D'Água. Entendo que nada será feito pelo prejudicado. O silêncio antes e depois do fato denuncia a conivência com o absurdo. Mais uma vez sobrou para o torcedor.

Aberração

O resultado da fase inicial da Copa Maceió mostra uma aberração. O Ceo - time da cidade de Olho D'Água das Flores, Alagoas - foi rebaixado com 8 pontos ganhos, enquanto que o Murici, com 7 pontos somados, conseguiu permanecer no Alagoano da Primeira Divisão, tudo por conta do tal "percentual" inventado pelo Sr. Roque Júnior, o "Roque Gênio", uma das "cabeças-coroadas" da Federação Alagoana de Futebol


Campo do Ceo  fecha as portas para a Primeira Divisão

No campeonato não foram os pontos que determinaram a ordem de classificação dos clubes. Valeu o tal "percentual", inserido no regulamento depois que a competição estava em andamento, sem que ninguém, absolutamente ninguém, tivesse reclamado da barbaridade.  Seria trágico se não fosse cômico, mas a ridícula notícia vai tornar o futebol alagoano uma verdadeira piada em nível nacional. Até quando?

quarta-feira, 22 de abril de 2015

FM já era

Enquanto o Brasil ainda está em migração do AM para a FM, a Noruega já anuncia a extinção do rádio FM para 11 de janeiro de 2017. Vai operar pelo  Sistema DAB, em inglês, Digital Audio Broadcasting, que propiciará aos ouvintes acesso a um conteúdo  mais diverso e plural, além de uma melhor qualidade sonora. 


Rádio digital acaba com o FM

O Ministério da Cultura Norueguês estima que a digitalização das emissoras nacionais gerará uma economia anual de  US$ 25 mi (aproximadamente R$ 75 mi). "O custo de transmissão de rádio pela FM é oito vezes maior que pela  DAB", disse o Ministério, em comunicado. A razão é o menor consumo de energia na transmissão digital.

Vários outros países da Europa e do sul da Ásia já avaliam uma transição para o rádio digital. Enquanto isso, no Brasil...

CSA "despreza" vantagem

Se confirmada a informação de que o CSA vai mandar a campo contra o Asa, na noite desta quarta, 22, no Trapichão, em Maceió, um time misto por conta de já estar classificado para a semifinal do Alagoano, estaremos diante da confirmação de que o clube desconhece o regulamento do campeonato. Não basta, apenas, se classificar, o primeiro lugar é decisivo para se chegar ao título.


Extrato do Regulamento

Segundo a norma, o clube que chegar na primeira posição fará o jogo de volta da semifinal em casa. Mas não é somente isso, não. Estará classificado para a final do campeonato caso empate em pontos e em saldo de gols nos dois jogos, o que significa dizer que não precisará marcar um gol sequer na semi para chegar à decisão. Dois empates por zero, por exemplo, servirão. 

Para quem busca desesperadamente calendário, entendo que o CSA vacila ao "desprezar" a vantagem de ser primeiro colocado. Já o adversário, conhecedor da regra do jogo,  vem a Maceió buscar consolidar o primeiro lugar no Grupo B. O Asa escalará o que tem de melhor e vai tentar vencer. Ainda há tempo de o CSA desistir de abdicar de uma vantagem tão generosa.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

A dúvida persiste


Federação é símbolo de retrabalho

Na tentativa de estabelecer critérios de desempate na Copa Maceió, caso duas ou mais associações terminem empatadas no tal "percentual", a Federação Alagoana de Futebol baixou a Resolução 04/2015, mas, por incrível que possa parecer, ainda não solucionou a questão. O documento define, apenas, quem será o rebaixado no caso de igualdade percentual na parte de baixo da tabela. Agora, mais uma vez, de novo, novamente, a FAF terá que elaborar um outro ato para dizer como ficará a situação caso duas ou mais equipes terminem empatadas na briga pela classificação para a semifinal. Como vemos, a incompetência continua. Até quando, meu Deus!

domingo, 12 de abril de 2015

Marcação adversária começa a preocupar o Asa

O Asa está invicto no Alagoano, é candidatíssimo ao título, tem os dois goleadores da competição, mas não se pode negar que tem enfrentado dificuldades nos últimos jogos por conta de os adversários terem aprendido a marcar o Alvinegro. Por falta de atacantes de referência que resolvam o problema, o time de Vica joga com quatro zagueiros dois volantes e quatro meias que se revezam na peça ofensiva. Pode-se dizer que não está dando certo? Claro que não. Os números mostram isso. É líder do Grupo B, tem o ataque mais positivo , o melhor saldo de gols e, repito, os dois maiores goleadores (Didira e Alex).  Mesmo assim, quem joga contra o Asa tem dificultado as ações da Agremiação Sportiva Arapiraquense.


Linhas diagonais para travar a movimentação do Asa


Observe que os adversários têm posicionado três linhas diagonais quando jogam contra o Asa, travando o jogo pelo setor de meio, exercendo forte marcação nos meias do representante de Arapiraca, prendendo os dois zagueiros do Alvinegro com um referência, além de colocarem dois meias para ocupar os dois volantes do Asa. Outra jogada dos "inimigos" é posicionar dois atletas abertos e com função de marcar os dois laterais do Asa quando este tem a posse de bola. Com isso conseguem uma sobra por um dos lados do campo para infiltrar um jogador-surpresa quando vão ao ataque. 

Apesar de tudo isso o Asa tem conseguido as vitórias e somar pontos, embora enfrentando dificuldades, como foi no jogo deste sábado, 11, em que venceu o Coruripe por dois a um, jogando no Fumeirão. É bom ficar antenado porque, agora, já se sabe como marcar o Asa.

Melhores


O voto eletrônico já é uma realidade

O Alagoano de Futebol Profissional se aproxima do fim e já é hora de pensar nos melhores da temporada. Sugiro à Federação Alagoana de Futebol que promova a votação pelo sítio- -eletrônico da entidade. É simples. Basta solicitar a relação nominal dos integrantes  de cada departamento-esportivo, enviar a eles senha e login pessoais e intransferíveis, além de disponibilizar um link para que a votação seja efetuada. A medida aumentaria o número de votantes, seria mais democrática e de fácil apuração. E vamos combinar uma coisa: não há dificuldade nenhuma em tomar tal atitude.

sábado, 11 de abril de 2015

Ainda o caso Freitas

Não deverá ficar sem punição o descuido do CSE de permitir a presença do técnico Freitas no banco de reservas, no jogo CSA 1x1 CSE, ocorrido  no último 22 de março. A pena deverá ser pecuniária, de R$ 100,00 (cem reais) a 100.000,00 (cem mil reais), além de fixação de prazo para cumprimento da obrigação, segundo o Código Brasileiro de Justiça Desportiva.


Depois de ficar no banco do CSE, no jogo com o CSA, Freitas pede ajuda aos céus para escapar ileso de uma punição (Foto:GE)

A dúvida que tenho é se a pena será aplicada ao clube ou ao treinador (de cabeça de juiz pode sair tudo, inclusive nada). Se for para a entidade de prática desportiva, Freitas estará obrigado a cumprir a suspensão sob pena  de reincidir no erro. Seria melhor não assinar súmula na partida deste domingo, 12, contra o Ipanema, visto que depois da expulsão assinou súmula em todos os jogos do representante de Palmeira dos Índios na Copa Maceió, estando, portanto, ainda devendo o cumprimento da partida automática.

CSE "dormiu de touca"

O CSE se meteu em uma enrolada pelo fato de o técnico Freitas ter assinado a súmula do jogo CSE 1x0 Ceo, no dia 25 de março último. É que o treinador havia sido expulso na partida anterior, em que o representante de Palmeira dos Índios empatou por um gol com o CSA, jogo acontecido, em Maceió, no dia 22 de março.


Súmula de CSE x Ceo assinada por Freitas


O Regulamento Geral de Competições, da CBF, que é parte integrante do Regulamento do Alagoano de 2015, no artigo 52, diz que "O atleta e o membro de comissão técnica que forem expulsos de campo ou do banco de reservas ficarão automaticamente impedidos de participar da partida subsequente, independentemente do mérito e da data da decisão do julgamento da infração disciplinar pelo STJD.". O CSE também não poderá alegar desconhecimento da matéria dada a conhecer pela CBF em 19/12/14. O Código Civil Brasileiro é claro em seu artigo terceiro: "Ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece.". Como podemos ver, "dormiu de touca" o Tricolorido de Palmeira.