.

.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Desde quando emitir opinião significa ameaçar a democracia?

Convivi com muitos chineses, em 2011, quando residi em Brisbane, Austrália. Vi a satisfação deles ao poderem criar uma conta no Facebook e compartilhar momentos com amigos reais e virtuais. Era como se um mundo novo se descortinasse à frente destes orientais. Todos muitos satisfeitos e tristes ao mesmo tempo, visto que quando do retorno à China suas contas não funcionariam, já que os dirigentes políticos do país bloqueiam o Face por lá. Pura censura. Os chineses são obrigados a usar uma rede criada pelo Governo Chinês, que é 100% auditada pelos "donos" do poder.

Para minha surpresa vejo no Programa de Governo do PT que o Partido pretende estabelecer "Um novo marco regulatório da comunicação social eletrônica". O Brasil passaria a agir tal qual a China! Não podemos permitir esta intromissão nas nossas comunicações pessoais.  


Extrato do Programa de Governo do PT


Para piorar, ainda é dito no mesmo Programa que "A Constituição será aplicada de maneira imediata e firme contra quem ameace a democracia com atos e/ou declarações. Vamos combinar. Privar a liberdade de pensamento e expressão, não é ser democrático.


Clique no extrato para ler em tamanho maior


Felizmente que estas exceções propostas pelo partido vermelho não estão em vigor. Caso estivessem, após este post ser lido pela "inteligência" do governo vermelho, provavelmente eu seria preso, teria os meus direitos arrancados, morreria na prisão - se não fosse morto - apenas por "ameaçar a democracia". Ora, façam-me o favor!

Discriminação ao contrário

Estou à vontade para tocar no assunto, visto que já passaram pela minha vida mulheres negras, tenho amigos homoafetivos, convivo pacificamente com pessoas que não professam a mesma religião que eu, portanto, não há nenhuma dose de preconceito no que vou abordar. Então vamos lá.

Discordo frontalmente da política de cotas. Entendo que todos devem receber a mesma condição para que possam disputar sadiamente as vagas do mercado de trabalho. E é exatamente por isso, que me coloco contra o que está escrito no Programa de Governo do PT com relação as chamadas "ações afirmativas". Entendo ser uma discriminação ao contrário. Você assume determinada função, não pela capacidade, mas pela cor da pele, opção sexual etc.


Extrato do Programa de Governo do PT


Dentro desta linha - caso o PT venha a ser Governo - os negros passarão, prioritariamente, a assumir cargos de chefia. Pelo amor de Deus! A cor da pele não pode ser determinante para alguém se tornar chefe. Há que se respeitar a meritocracia. Quem é mais competente assume o cargo e pronto. Há "n" critérios para se determinar a competência. Vamos parar com este tipo de divisão, que vai criar nos locais de trabalho mais preconceito ainda! Que o saber, a liderança, a capacidade técnica, a inteligência emocional, entre outros, sejam os critérios de ascensão nas organizações trabalhistas!

ITR poderá dizimar famílias que vivem no campo

O PT não fala abertamente do assunto, o tema não está na propaganda partidária, o fato é escondido das pessoas, principalmente as que residem no campo, mas o caso é sério e merece ser destacado. Está escrito no Programa de Governo petista, registrado no Tribunal Superior Eleitoral, no item 5.4.3, que "O Imposto Territorial Rural (ITR) será totalmente reformado e transformado  em tributo regulatório de caráter progressivo no tempo". 



Extrato do Programa de Governo do PT


Em uma análise rápida parece ser bobagem, mas não é. O "caráter progressivo no tempo" nada mais é do que o aumento no que deve ser pago ao Governo ao longo dos anos. Em outras palavras. O ITR vai aumentando de tal forma até que chega-se ao momento em que o produtor rural não tem mais condição de arcar com a obrigação e perde a terra. 

Isto significa dizer que quem tem uma pequena chácara na zona rural, um sítiozinho   onde cria uma cabeça de gado, algumas galinhas, cultiva uma horta para o sustento familiar, depois de alguns anos vai virar um sem-terra por conta da política fundiária que se pretende implantar no Brasil, caso o PT chegue ao Governo.

Claro que em quatro anos - creio eu - não haverá um aumento tão elevado que inviabilize a continuidade do negócio por parte do produtor rural, mas no longo prazo, a perversidade que está  sendo proposta acabará com grande parcela de produtores do campo. Atentai bem, Senhores campesinos! O perigo ronda as suas propriedades.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Ifal de Palmeira dos Índios é 10

Ifal/Palmeira consegue marca de prestígio


O curso de engenharia civil do Instituto Federal de Alagoas, Campus Palmeira dos Índios,  Alagoas, ficou com o conceito  05, o mais alto a ser atingido, no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).  Parabéns a todos os integrantes do Ifal!

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Veja as diferenças entre os programas de Haddad x Bolsonaro

Muito tem se falado a respeito das diferenças entre os candidatos a Presidente do Brasil Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Percebo que as discussões versam muito mais a respeito da individualidade dos candidatos, do que mesmo a respeito do que cada partido propõe para a nação brasileira, caso chegue ao poder. Sendo assim, dediquei várias horas à leitura do Plano de Governo de cada um. Extrai o que entendo ser mais importante para que possamos analisar o que será o Brasil do PT ou o Brasil do Bolsonaro. Vamos ao que está escrito.

Iniciemos com o PT. O relatório do Partido tem 61 páginas, que merecem ser entendidas em profundidade. Chama atenção no texto a exaltação a Lula e Dilma e as inúmeras citações ao "golpista" Temer, que foi sempre a escolha do PT para Vice, tanto de Lula, quanto de Dilma. Lula é exaltado como o maior líder brasileiro de todos os tempos e um dos maiores nomes da História Política mundial, enquanto que Rousseff é vitimizada e apontada como "injustiçada por um impeachment sem provas". 

Entendo que um Programa de Governo deve se deter apenas ao que se pretende fazer, como será feito, por quem será feito, em quanto tempo será executado, quanto custará cada proposta, de onde virá o dinheiro para a execução do prometido etc. Mas, vamos ao que está escrito.

No que se refere ao bolso do trabalhador, o PT afirma que isentará do pagamento do Imposto de Renda quem recebe até cinco salários, enquanto que os mais ricos terão uma alíquota mais pesada. Enquanto isso, "O  Imposto Territorial Rural (ITR) será totalmente reformado e transformado em tributo regulatório de caráter progressivo no tempo", ou seja, vai subindo paulatinamente até chegar a hora que não dá mais para pagar e o proprietário vira um sem-terra.

Já no âmbito da Justiça parece que o desejo do PT é controlar o judiciário, visto que aponta textualmente que irá "impedir abusos". A pergunta que fica é: que tipo de abusos? O que será tipificado como "abuso"? Seria abuso punir gente de colarinho-branco, colocar na cadeia um político manifestamente desonesto, após ser provado que o cidadão teve má conduta etc! Aí cabe uma reflexão: o "fatiamento" da pena de Dilma Rousseff quando do impeachment, ao perder o cargo de Presidente, mas sem ficar inelegível por 8 anos como manda a Constituição, seria enquadrado como "abuso"! Ah! Ainda haverá o "controle social na administração da Justiça". Juízes, Promotores, Desembargadores, Procuradores e outras autoridades do Judiciário já devem estar com "as barbas de molho". Em uma análise fria, cabe o questionamento: seria retaliação ao Judiciário, aos membros da Justiça ou simplesmente a tentativa de facilitar atos nocivos que porventura venham a ser praticados no futuro! Ainda irão mexer na delação-premiada, além de existir a intenção de que "o combate à corrupção não pode servir à criminalização da política". No popular: liberou geral.


O Programa ainda contempla a redefinição do "papel da Polícia Federal para impedir perseguições". Vai mudar o artigo 144 da CF, exatamente o que define o papel das polícias. Será que investigar os bandidos que estão na política, assaltando os cofres públicos será tipificado como "perseguição"!  É melhor passar uma chave na PF e mandar os policiais para a praia. Ainda mais quando o próprio novo ordenamento afirma que "Esse é o programa da vitória do #LulaLivre". Outro ponto é a decisão de que "o ministério da Defesa voltará a ser ocupado por um civil". Entendo que o ponto é uma discriminação ao contrário. O nome escolhido deve ser o mais competente e mais preparado para ocupar a função, independente de sexo, religião, opção sexual, estado civil,  muito menos se a pessoa é civil ou militar. Foi competente, teve perfil adequado, vai para o cargo.

Confesso que dá medo ver escrito que haverá um "novo marco regulatório da comunicação social eletrônica". O que seria isso! Censura nas redes sociais! Para aumentar a minha desconfiança, também fiquei pasmo ao constatar que, segundo o documento, "A Constituição será aplicada de maneira imediata e firme contra quem ameace a democracia com atos e/ou declarações". Mais uma vez pergunto: declarar que é antiPT será tido como "ameaça" à democracia! Nosso cérebro será tutelado pelo Estado! Onde ficam o livre pensamento e a liberdade de expressão!

Neste momento é importante frisar a proposta de universalização das concessões de rádio e TV, que contemplará, também, os sindicatos. É o retorno da República Sindical, onde a "companheirada" passa a ocupar espaços generosos na máquina governamental e, doravante, caso o PT chegue ao poder, terá nas mãos veículos de comunicação para propagandear e cultuar o líder maior da nação. Seria uma espécie de mídia chapa-branca. Agora cabe uma indagação: Quem vai bancar os custos de uma emissora de rádio e/ou TV? Pelo que sabemos a despesa é altíssima. Que o digam os empresários da comunicação! Um sindicato pobre poderia manter no ar uma rádio e/ou TV! O Governo - entenda-se povo - iria bancar os custos ou apenas os grandes sindicatos seriam contemplados, deixando os menores de fora!

"Haddad resgatará e atualizará o Programa Nacional de Direitos Humanos", reza no documento petista. Quanto a esta parte, que tem um nome pomposo, deixo a análise por conta do jurista, advogado, professor e escritor brasileiro,Ives Gandra Martins, que desvendou o mistério que se esconde por trás da ideia. Clique aqui e veja o depoimento do Mestre no Programa do Jô.

Haverá recriação de ministérios. Já estão listados: Direitos Humanos; Ciência, Tecnologia e Inovação; e Políticas para as Mulheres e para Promoção da Igualdade Racial. Outros também virão por aí. É a máquina governamental voltando a ficar pesada e sendo sustentada pelo contribuinte. Claro que os amigos do poder ocuparão os cargos comissionados que serão enormes. Carregou bandeira do PT nas ruas e o bom e confortável emprego estará garantido. 

Haverá também  "medidas para a indução da valorização dos negros e negras, visando  a equiparação salarial e maior presença nos postos de chefia e direção". Novamente a questão racial. Se for negro vai ser chefe. Se for branco vai obedecer. Inversão da discriminação e aposta na divisão. Tem que ser chefe se for competente para tal, independente da cor da pele. 

Ainda no mesmo campo, haverá o  "Programa Transcidadania, que garantirá bolsa de estudos a pessoas travestis e transexuais". Olha o que vai acontecer. Quem quiser bolsa de estudo vai se declarar travesti ou transexual, como já ocorre hoje com pessoas que passaram em concurso público se afirmando negras, sem na verdade o serem e sem terem comprovado a matriz africana. Outra situação. Somente os travestis e transexuais? onde ficam os bissexuais, assexuados, intergêneros, lésbicas, gays, homoafetivos, homossexuais, homoeróticos, hermafroditas, intersexuais e outras linhagens. A árvore sexual do mundo atual é muito grande e diversificada. Por que o privilégio apenas para os travestis e transexuais? Haverá divisão dentro da nação entre os diversos ramos da sexualidade! O brasileiro não suporta mais tanto racha.

No campo da educação a reforma  implantada no Governo Temer será revogada e "serão realizados fortes ajustes na Base Nacional Comum Curricular". Que ajustes são estes? Não está explicitado. 

Já quanto as drogas, haverá  "descriminalização e a regulação do comércio". Taí uma coisa que defendo. A partir do momento que o comércio for regulado,  o traficante perde espaço e a banca quebra, além de que impostos passam a ser arrecadados pela nação. Mas, alto lá! Deixo claro que sou contra o uso de entorpecentes.

Neste momento é importante destacar a proposta de um novo "processo constituinte". Por enquanto sabe-se apenas que haverá uma  "convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte, livre, democrática, soberana e unicameral". Maiores detalhes somente depois da posse.


Bolsonaro e Haddad: duas cabeças completamente diferentes

Já o programa do candidato Jair Bolsonaro (PSL), tem 81 páginas, cita o PT em alguns momentos e traz o discurso anticomunista.

Bolsonaro propõe "um governo decente, diferente de tudo aquilo que nos jogou em uma crise ética, moral e fiscal. Um governo sem o toma lá dá cá, sem acordos espúrios". Assevera que a propriedade privada é sagrada e não pode ser roubada, invadida ou expropriada. Afirma-se como um "Governo Liberal Democrata", onde "a corrupção, o crime, a 'vantagem', a esperteza, deixarão de ser aceitos", visto que não encontrarão guarida no Governo. "Ninguém será perseguido, todos terão seus direitos respeitados. Todavia, investigações não serão mais atrapalhadas ou barradas". diz o Programa do PSL, que afirma ainda que "A Justiça poderá seguir seu rumo sem interferências políticas". "As Dez Medidas Contra a Corrupção, propostas pelo Ministério Público Federal, serão encaminhadas para aprovação no Congresso Nacional", diz o documento.

Quanto a mídia, Bolsonaro garante que a imprensa será livre e independente e que é contrário a "qualquer regulação ou controle social da mídia". 

A tolerância zero vai chegar para não agasalhar "o crime, a corrupção e os privilégios". O Foro de São Paulo (conferência de partidos políticos e organizações de "esquerda", criada em 1990, a partir de um seminário internacional promovido pelo PT) será combatido.

No campo da economia a meta é "atingir um superávit primário já em 2020 e equilibrar as contas públicas no menor prazo possível, buscando um superávit primário que estabilize a relação dívida/PIB". Para isso haverá redução de Ministérios, cortes de despesas,  redução das renúncias fiscais, privatizações, concessões e venda de propriedades imobiliárias da União. O Banco Central será independente e haverá enxugamento de Ministérios. Por exemplo, o Ministério da Economia abarcará as funções hoje desempenhadas pelos Ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio, bem como a Secretaria Executiva do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos). O futuro Governo trabalhará com o Orçamento Base Zero, onde  "cada gestor terá que justificar suas demandas por recursos públicos". 

No campo dos tributos está sendo proposta a "simplificação do sistema tributário nacional, descentralização e municipalização".

No combate à violência o caldo vai ficar mais grosso. O Programa de Bolsonaro prevê  o fim da "progressão de penas e das saídas temporárias" e a redução da maioridade penal para 16 anos. "Invasões de propriedades rurais e urbanas" serão tipificadas como terrorismo.

Já a Política de Direitos Humanos vai priorizar a "defesa das vítimas da violência" e não os bandidos. As Forças Armadas serão utilizadas no combate ao crime organizado.

Na Saúde, mudança no Mais MédicosAs famílias dos médicos que atuam no Brasil "poderão imigrar para cá e caso o iátrico seja aprovado no REVALIDA, passará a receber integralmente o valor que lhe é roubado pelos ditadores de Cuba", afirma de forma contumaz o Programa do líder nas intenções de voto. Outro ponto que merece destaque é a "inclusão dos profissionais de educação física no programa de Saúde da Família", conforme escrito no PG.

No campo da Educação, haverá mais "matemática, ciências e português, SEM DOUTRINAÇÃO E SEXUALIZAÇÃO PRECOCE", diz Bolsonaro em seu Programa de Governo. O fim da aprovação automática também está previsto.

Outros pontos contemplados pelo Programa: modernização e aprimoramento do Programa Bolsa Família; criação de uma nova carteira de trabalho; manutenção da extinção do imposto sindical; Simplificação de abertura/fechamento de empresas; licenciamento ambiental mais rápido; redução de custos para embarque e desembarque nos portos; e Itamaraty, entre outras atribuições, fomentando o comércio exterior.  

Agora é com você, amigo eleitor. Escolha quem melhor poderá representá-lo e fazer o Brasil avançar. 

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Nezinho livre

 
Depois de ser demonizado por parte dos professores de Alagoas por conta do projeto, Escola Livre, o Deputado, Ricardo Nezinho (MDB-AL), respondeu aos ataques que sofreu, nas urnas. Foi o segundo mais votado para a Assembleia Legislativa de Alagoas, no pleito desse domingo, 07, com 43.961 votos, perdendo apenas para Jo Pereira, também do MDB, que conseguiu 53.707 sufrágios.

Deputado, Ricardo Nezinho, nos braços do povo


O Escola Livre foi duramente atacado por vedar, em sala de aula, em Alagoas,  "a prática de doutrinação política e ideológica". Parabéns ao deputado reeleito, que, apesar do pesado processo de críticas que sofreu, agora foi "beatificado" pelos eleitores!

Brasileiro vota em paz

Segundo turno será dia 28


Felizmente o Brasil amanheceu em paz, após as eleições que aconteceram, nesse domingo, 07, em todo o país. Que bom que a tragédia anunciada não se verificou e tudo que se viu nas ruas durante as 8 horas de votação foi tranquilidade. Agora vamos para o segundo turno, em nível nacional e em muitos Estados da Federação, em 28 de outubro. Que a ordem continue reinando até o final do pleito!

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O verdadeiro espírito esportivo

Leandro encarou com naturalidade a brincadeira


O torcedor do CRB, Leandro Dias, perdeu e pagou. Confiante que o CSA não derrotaria o Paysandu, em Maceió, nessa terça, 03, apostou com o colega de trabalho, Lázaro Renan, que vestiria a camisa do CSA, no dia seguinte à partida caso perdesse a aposta. Dito e feito, aí está ele (foto) cumprindo o prometido e desfilando com a camisa do rival. Que exemplos como este, de camaradagem, sirvam para os vândalos que se digladiam em nome dos clubes que dizem torcer. O futebol foi feito para desenvolver o espírito esportivo e proporcionar, entre outras coisas, brincadeiras sadias como esta.

Perigo de morte no Trapichão

O repórter, Thiago Omena (Maceió AM/1020), ainda vive na carne por pura obra e graça do Espírito-Santo. É que o radialista foi vítima de uma violenta descarga elétrica, proveniente da ferragem existente na casa-mata que abriga o pessoal da mídia, no Trapichão. O fato ocorreu nessa terça, 02, durante o jogo CSA 1x0 Paysandu, em Maceió.


Teste prova que a energia estava presente na casa-mata (Foto: Orlando Batista)


Técnicos especializados fizeram teste e confirmaram que o local está energizado. Toda a crônica-esportiva está chocada com o ocorrido e se perguntando quem será a próxima vítima. Omena desabfou no momento em que o fato aconteceu. Clique aqui e veja o desabafo do repórter. 

A Associação de Cronistas Esportivos de Alagoas, através do Presidente Jorge Moraes, já comunicou o fato à Secretária de Estado do Esporte Lazer e Juventude Cláudia Petuba e solicitou providências para que vidas sejam poupadas. Esperamos que o problema seja contornado e que ninguém mais seja surpreendido em pleno exercício da profissão com uma descarga elétrica ou algo pior.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Quem é quem nesta eleição!

Permitam-me traçar um perfil - da maneira que enxergo - dos candidatos a Presidente da República do Brasil, a partir dos debates que tenho assistido na TV e nas redes-sociais. Não sou psicólogo, nem analiso aqui plataforma de governo e coisas do gênero. Vamos lá.




Candidatos mais bem colocados segundo as pesquisas (Arte:JP)


Fernando Haddad (PT). Mostra-se seguro, calmo, passa muita autoconfiança e se apresenta muito zen. Até parece um praticante de ioga. Nunca esquenta a cabeça e está sempre com a aparência serena.

Ciro Gomes (PDT). Tem se esforçado para parecer gentil e cortês. Trata muito bem os adversários e incorporou o discurso da humildade, pedindo uma chance aos eleitores para estar no segundo turno.

Geraldo Alckmin (PSDB). Mostra-se calmo, fala com equilíbrio e até na hora de alfinetar os adversários o faz com muita elegância. No dizer popular, "Nunca desce do salto".

Marina Silva (Rede). Incorpora a Madre Superiora do convento, falando para as freiras, mas, em momento nenhum deixa uma posição firme, o que faz com que as "irmãs" fiquem desconfiadas do discurso.

Alvaro Dias (Podemos). Tem rosto de personagem dos filmes de super-herói do cinema norte-americano. Fala com autoridade e mostra que acredita no que diz, mas ao mesmo tempo escorrega nas palavras e deixa nas entrelinhas a certeza que tem no íntimo de que não chegará ao segundo turno.

Henrique Meirelles (MDB). Tecnicamente, é o mais bem preparado de todos. Tem conhecimentos acima da média dos demais, temperamento calmo, centrado e deixa no ar a impressão do famoso "o que é que eu estou fazendo aqui. Esta não é a minha praia".


Cabo Daciolo (Patriota). Encarna o pastor  e pensa que está pregando em uma igreja evangélica. Em alguns momentos é engraçado e deixa um sorriso de canto de boca nos oponentes. Também "acredita" ter o poder de prever o futuro, ao profetizar que vencerá no primeiro turno.


Guilherme Boulos (PSOL). Falastrão. Entrou somente para atacar os adversários. No dizer do presidiário, Lula, tem muita "bravata".

Jair Bolsonaro (PSL). Coitado. Não foi aos debates por determinação médica depois que foi esfaqueado por um fanático, mas apanha mais do que pandeiro de chegança. Está sem direito de resposta para tanta coisa que é atribuída a ele.

Quanto aos demais,  Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL), não posso dizer muita coisa, visto que pela posição nas pesquisas estão descartados dos debates. Como exceção - mesmo sem tê-lo visto nos debates - temos João Amoêdo (Novo), que parece ser o fato novo desta eleição, um vencedor no capitalismo e que entra na disputa tentando mostrar algo diferente para o eleitor, porém sem espaço para falar o que pensa e deseja para o país.

Quem é o melhor? Tenho minha preferência, mas por questão de ética não a expressarei neste post. A decisão é de cada um, no isolamento da urna-eletrônica, no momento de digitar o número do candidato. Uma tecla mal-apertada  representará quatro anos a mais de problemas. Também temos que ver que nenhum dos postulantes tem vara de condão para transformar o Brasil overnight. A principal mudança tem que ser nossa. Precisa vir de dentro para fora. Se cada um de nós começar a pensar primeiro no outro (altruísmo) para depois olhar para o próprio umbigo, transformaremos o Brasil e faremos desta nação um lugar excelente para viver. Sim, nós podemos!