sexta-feira, 11 de abril de 2014

Promiscuidade entre "organizadas" e Fluminense

Contabilidade tricolor mostra relação perigosa entre clube e "organizadas"


Enquanto o ídolo Fred enxerga o mal que as "organizadas" representam para o futebol e as condena taxando as do Fluminense de "marginais travestidos de torcedores", a diretoria do Tricolor mantém relação promíscua com a escroque das arquibancadas. Entre 2011 e 2014 gastou cerca de R$ 4 milhões, entre ingressos e ajuda de custo, com as "organizadas", tudo contabilizado oficialmente. Até uma facção que está proibida de frequentar os estádios fatura mensalmente. Uma vergonha, capaz de fazer o torcedor do bem deixar de contribuir com a agremiação. Diante dos números, fica uma pergunta: quem ganha (R$) com isso?

Portas fechadas


A rádio Brasil AM (Campinas-SP) acabou com a equipe esportiva. A partir de agora fará apenas retransmissões do futebol da Jovem Pan (SP/Capital). Lamentável. Para onde caminham os departamentos esportivos das rádios brasileiras? Estariam em processo de extinção! A verdade é que os custos são altíssimos e muitos empresários da comunicação não estão despostos a bancar a fatura.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Correios prorroga

Uma excelente notícia para os aprovados no Concurso Público 2011 para o cargo de carteiro, em Alagoas. O certame foi prorrogado por mais um ano, tendo validade, agora, até 15/04/2015


A espera por uma carta


O salário inicial de um carteiro é  R$ 1.084,35, acrescido de R$ 809,12 de ticket-  -alimentação, mais  plano de saúde (médico, psicólogo e dentista), além da participação nos lucros e resultados. Resta aos que estão na espera torcer para ser chamado o mais breve possível.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Para não esquecer

Maradona: este merece ser chamado de craque


Vale a pena assistir a esta sensacional jogada de Maradona, no Maracanã. Ele chuta do meio-campo e a bola acerta a trave. Foi no jogo entre Argentina e Uruguai, pela Copa América de 1989. Eu estava lá e vi o estádio aplaudir de pé a fantástica jogada, como se estivesse em um teatro. Veja a magia do craque argentino clicando  aqui.

Fred abre guerra contra as "organizadas"

Atacante Fred  publicou no Twitter e no Facebook um manifesto contra as torcidas-  -organizadas do Fluminense. Ele classifica os integrantes  de "bando de marginais, travestidos de torcedores" e chama atenção para uma tragédia que pode acontecer  neseta quinta, 10, "caso o Fluminense  não elimine o Horizonte pela Copa do Brasil". 


Fred botou o dedo na ferida

Apoio integralmente o jogador. Já era hora de um grande ídolo se posicionar contra esta coisa nociva ao futebol chamada de torcida-organizada. Não ajuda em nada o espetáculo, pois tira dos estádios os torcedores do bem, entre eles mulheres, crianças e famílias. Quem apoia estes baderneiros um dia será vítima deles.

Leia, abaixo, o que escreveu o avançado tricolor nas redes sociais.


Após o "recado" dado no último fim de semana - quando um bando de marginais, travestidos de torcedores, foi para a porta das Laranjeiras ameaçar os jogadores do time -, o futebol brasileiro está prestes a viver mais uma tragédia anunciada nesta quinta-feira, caso o Fluminense não elimine o Horizonte pela Copa do Brasil.

Sábado passado, ao sair do meu trabalho, me deparei com cerca de 20 desocupados rodeando meu carro em cima do passeio, praticamente dentro do clube. Os cinco seguranças do time até tentaram conter a fúria desses bandidos… Mas foi em vão! Minha reação, e única defesa, foi acelerar o carro, mesmo correndo o risco de machucar quem estivesse na frente, tendo em vista que começaram a bater no vidro e na lataria do meu veículo. Pra completar, quase provoquei um acidente, pois vinha um caminhão e não vi. Graças a Deus, nada de mais grave aconteceu.

Fui embora indignado, revoltado, pensando se realmente vale a pena tanto esforço e dedicação diários para esse clube que aprendi a respeitar e a gostar. Só no domingo me dei conta de que apenas 20 pessoas (geralmente, as mesmas) estavam matando a minha vontade de dar alegria a milhões de torcedores de verdade, aqueles que vibram com as conquistas e sofrem com as derrotas, mas sem partir pra agressão, pois entendem que nem sempre é possível vencer. Em 2011, vivi uma situação parecida aqui mesmo no Fluminense e, desde então, optei por não aceitar esse tipo de intimidação.

Esse bando de à toa deveria se reunir para protestar contra a falta de segurança pública, educação, saneamento básico, saúde… Ameaçar não trabalhadores e pessoas de bem como eu, mas, sim, os políticos COMPROVADAMENTE corruptos. Eles prestariam um serviço muito maior à sociedade. Mas, em vez disso, surgem do nada às 15h30 de uma quinta-feira - como ocorreu na semana passada - para xingar atletas. Isso quando não conseguem o número do telefone dos jogadores e ficam mandando mensagens com ameaças de morte.

Quantos "Kevins" ainda terão de pagar com suas próprias vidas? Quantos centros de treinamentos terão de ser invadidos? Mais quantos inocentes terão de ser espancados até a morte? Ou será que somente quando um jogador for espancado alguma providência mais enérgica e eficaz será tomada contra esses bárbaros? Ficam as perguntas. O esvaziamento dos estádios de futebol não pode ser uma mera coincidência. As bandeiras que antes tremulavam nas arquibancadas hoje se transformaram em armas brancas nas mãos desses bandidos.

Quando a imprensa publica tais atos de agressão e vandalismo cometidos pelas organizadas, essas matérias são exibidas entre elas como troféus e, quem os pratica, são tratados como “heróis” internamente. O enfoque deveria ser outro. É preciso questionar os prós e os contras dessas facções, que exploram de maneira ampla a imagem dos times sem pagar royalties; são as principais responsáveis pelas mortes nos dias de jogos e perdas de mandos de campo por seus times; possuem marginais infiltrados; afastam os verdadeiros torcedores dos estádios; e que, por fim, ganham ingressos e até transporte gratuito das diretorias da maioria dos clubes, que insistem em manter uma relação obscura com esse tipo de organização.

Resumindo, na minha opinião, os integrantes de torcidas organizadas não têm direito sequer de reclamar quando o time perde - tendo em vista que nem ingresso eles pagam -, quanto mais de agredir ou intimidar jogadores. Ser membro de torcida organizada no Brasil já virou profissão, meio de vida. Há casos de presidentes de facções que se elegem ou conseguem cargos políticos.

Lutarei com a arma que tenho. Por isso, a partir de hoje, as comemorações dos meus gols não serão mais para as torcidas organizadas. Meus gols serão dedicados exclusivamente aos verdadeiros torcedores do Fluzão, a não ser que a lei seja mais rigorosa ou os responsáveis por essas facções revejam o papel que elas deveriam exercer, que é apoiar o time do coração incondicionalmente, principalmente nos momentos de dificuldade, pois é quando mais precisamos de incentivo.

Olha o Gol!

Edson Mauro comanda o Gol


Finalmente um excelente programa esportivo na Rádio Globo Rio. É o Olha o Gol!. O título é uma referência ao bordão usado por Edson Mauro nas narrações dos jogos, antes do grito de gol. E é o próprio Mauro que apresenta a atração, que vai ao ar de segunda a sexta, das 20 às 22h. Foi p'ro espaço o tradicional Panorama Esportivo, que nos últimos tempos havia se transformado em algo horroroso, sob o comando de Zeca Marques.

domingo, 6 de abril de 2014

Borjão comemora

Jorge Henrique


Nosso parceiro Jorge Henrique não cabe de tanta felicidade, neste 6 de abril, por estar completando idade nova.    Profissional gabaritado, amigo dos amigos, integra merecidamente a equipe de comunicação do Ministério do Esporte. Aliás, Borjão esteve em Maceió acompanhando o Ministro Aldo Rebelo e aproveitou as brechas na agenda para comemorar a data com os amigos da terrinha. Parabéns ao brilhante profissional!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Vamos ter que engolir

Como a tecnologia ainda não implantou um sistema que permita assistir a um canal de TV e ouvir outro simultaneamente em um mesmo aparelho, e as emissoras não oferecem mais de uma narração para uma mesma partida, para que a audiência decida quem ouvir, os que não gostam de Galvão Bueno vão ter que engolir as "pérolas" do narrador-comentarista-apresentador-humorista-âncora-diretor de TV, por mais um punhado de anos. Ele renovou contrato com a Globo até 2019. Nunca é demais lembrar que Bueno havia dito publicamente que a Copa de 2014 seria a derradeira em que trabalharia. Mudou de ideia e, agora, espera estar presente ao Mundial de 2018. 


"Alô amigos da Rede Globo" por mais 5 anos

E a dose galvânica vai aumentar na emissora dos Marinho. A partir de 2 de junho o Jornal Nacional terá Galvão ao lado de Patrícia Poeta, falando de onde a Seleção Brasileira estiver. Ah! Ele também é o titular do Bem, Amigos.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

CSA x Asa mais tarde ainda

 
Clique na imagem para ver em tamanho ampliado


Após a via crúcis do Asa para chegar a Paragominas para jogar pela Copa do Brasil, a Federação Alagoana de Futebol anunciou que a partida entre CSA e Asa, pela nona rodada do Alagoano, estava remarcada para domingo, 6 de abril, às 18h30 min, mas uma nova modificação já aconteceu. O jogo, agora, está agendado para as 19 horas, na mesma data. Será que até domingo ainda muda novamente!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Federação vai definir quem é o terceiro do Alagoano

De acordo com o emparelhamento das equipes no Alagoano de 2014, não há possibilidade de a vaga da Série D do Brasileiro ficar com outro clube que não o campeão ou o vice. É pouco provável, mas pode acontecer uma desistência por parte do contemplado, ou futuramente sugir alguma benesse para o terceiro colocado na competição. E é aí que está o problema. O regulamento do certame é omisso. Não define quem é quem.


Federação precisa tomar uma decisão inteligente


Alertada pela mídia, a Federação Alagoana de Futebol vai baixar um ato para definir quem é o terceiro e quem é o quarto colocado. Da quinta a décima posição não há dúvida. Vale a pontuação geral no segundo turno.

Voltemos a terceira posição. Está no ar a ideia de se usar a pontuação de todo o segundo turno, também. É um erro primário que não pode ser cometido, visto que em um campeonato que não é de pontos corridos - está dividido em grupos - os quatro semifinalistas são obrigatoriamente os quatro primeiros colocados. Não há como fugir disso. E o que fazer para resolver o problema e respeitar o critério técnico? É simples. Basta que o ato que será vomitado pela FAF diga que o terceiro colocado será a equipe, entre as semifinalistas não classificadas para a final do campeonato, que tiver somado mais pontos ao longo de todo o segundo turno, e em caso de empate por pontos, valem os critérios de desempate já estabelecidos no próprio regulamento. Resolvido o imbróglio.

A solução apontada, aqui, respeita o critério técnico e impede que uma equipe que não chegou à semifinal fique à frente de um semifinalista. Esta é a humilde contribuição do Blog, na esperança de que mais tarde a decisão da Federação não esbarre na Justiça.