.

.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Editorial não cabe em abertura de programa de rádio

Desde quando passei pela CBN - já faz um tempinho - aprendi que não se deve abrir um  programa de rádio com enfadonhos, cansativos e aborrecidos editoriais. Em um documento assinado por Rodrigo Mineiro, Heródoto Barbeiro e Marcos Gomes, vindo da alta direção  da emissora, os três diziam textualmente, a respeito do editorial: "Não interessa aos ouvintes do rádio moderno, faz acreditar que não existe uma produção". Era o ensinamento que vinha de jornalistas/radialistas experientes, com vivência em grandes veículos de comunicação.


Antônio Carlos e equipe, na Tupi


Pois bem! Passados longos anos ainda vemos no rádio de hoje aberturas de programas com extensos editoriais, que passam a ideia de falta de recheio para a atração do que qualquer outra coisa. Parece até um vício, uma fórmula de bolo que pode ter dado certo em dado momento, mas que está exaurida.

Vamos ver um exemplo de abertura de programa com a participação de toda  equipe. Refiro-me ao "Show do Antônio Carlos", na Tupi, onde o apresentador "gira o peão" e os componentes participam de forma rápida, apresentando o "cardápio" do que será exibido durante o programa. Clique aqui para ver. Outro bom exemplo: clique aqui. É bom lembrar que  sempre é tempo de se reciclar! Tenho dito.