.

.

quarta-feira, 6 de maio de 2020

Nada demais entre a discordância de Caio e Casagrande

Mesmo tendo acontecido, na última segunda, 4, ainda hoje é o assunto mais comentado nas mídias sociais do Brasil. Refiro-me ao tolo  e inocente debate entre os comentaristas, Caio Ribeiro e Casagrande, no programa Bem Amigos, no canal SporTV. Foi apenas uma discordância de opinião que se transformou em "caso de polícia". Tudo por conta de uma declaração do dirigente do São Paulo, Raí, que se posicionou contra o retorno do futebol em tempos de Covid-19 e aproveitou para alfinetar o Presidente, Jair Bolsonaro. Caio discordou de Raí e Casagrande ficou contra Caio.


Casagrande e Caio durante o Bem Amigos


E porque todo o burburinho? Resposta: apenas porque, infelizmente na mída esportiva brasileira deixou-se de exercitar o contraditório. Qualquer opinião discordante já é encarada como desrespeito. Meu Deus do Céu! Onde estamos? 

Lembro de grandes debates envolvendo Rui Porto, João Saldanha, Nelson Rodrigues, Armando Nogueira, que levavam a audiência ao delírio. Em Maceió, nos anos 1970, na Rádio Gazeta, Antônio Avelar e Jurandir Costa, protagonizavam verdadeiras batalhas em defesa de CRB e CSA. Os números da audiência pulavam para a estratosfera. O problema é que nos dias atuais está tudo muito "enlatado". Ninguém se arrisca a ter uma opinião diferente. Parece até que está proibido falar o que se pensa. É o terrível e castrador "politicamente-correto" invadindo os estúdios em todo o país. Como diria o personagem Batoré, "Ô, para ae!".