.

.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Bolsa-lanche na Selaj

Chama atenção o Termo Aditivo ao contrato 002/2017, firmado entre a Secretaria de Estado do Esporte, Lazer e Juventude e a Casa da Vovó Júlia Ltda ME, assinado em 23 de março de 2018. A Casa da Vovó tem sede em Arapiraca, na Rua José Cardoso da Silva, 126, Brasília. Tem como representante legal Júlia Fabrícia Ferreira de Lima Bezerra. Os entes celebraram acordo no valor de R$ 300.490,00 para distribuição de lanche. O fiscal do contrato é o Superintendente-Administrativo Maurício Bezerra Bandeira (PC do B).

A Secretaria tem, segundo o Portal da Transparência de Alagoas, 3O funcionários, visto que o Secretário-Executivo Charles Hebert aparece duas vezes na lista com dois salários diferentes. Sendo assim, dividindo o valor do lanche por doze meses e depois pelo número de funcionários, temos uma despesa mensal com cada integrante da Selaj, custeada pelo contribuinte, de R$  834,44, ou seja, quase um salário-mínimo por pessoa da Secretaria. Enquanto isso, muita gente tem que sobreviver e pagar todas as despesas, com muito menos que cada servidor da Selaj usa para lanchar. Um abuso. E por favor! Não venham com desculpa afirmando que o lanche é para convidados. Se for, é pior ainda. Significa assumir farra com o dinheiro público.

Ainda chama atenção o fato de a empresa fornecedora do alimento ser de Arapiraca - terra da Secretária Cláudia Petuba (PC do B) - e no endereço que consta do extrato do Termo Aditivo haver apenas uma casa modesta, sem uma placar sequer que identifique que ali funciona uma empresa de produção de alimentos. Estranho, muito estranho. O Ministério Público já tem material suficiente para iniciar uma boa investigação.