.

.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

No Uruguai, tem

Encantei-me com o noticiário da Rádio Carve 850 AM/Montevidéu. O informativo vai ao ar das 7 às 9h, sempre de segunda à sexta-feira e é apresentado pelos âncoras, Gerardo Sotelo e Miguel Chagas. O noticioso apresenta notícias locais, nacionais, internacionais, informa a respeito de trânsito, tempo e temperatura, esportes, política, ciência, informática, medicina e saúde, inovação, além de apresentar sonoras com personagens envolvidos em  temas relevantes.

 
Carve, uma marca respeitada em Montevidéu

Pela estrutura do programa e pela hora que começa - 7h - percebe-se que há uma grande estrutura de bastidores para dar suporte ao que vai ao ar. São textos redigidos dentro da linguagem radiofônica, o que indica que não existe o famoso copiar e colar, além de material gravado, cuidadosamente preparado. Tudo muito bem feito e organizado, como manda o bom jornalismo. Outra coisa. A programação de sábado e domingo é especial, totalmente diferente da que vai ao ar de segunda à sexta.

Fico a me perguntar: por que, em muitas cidades brasileiras, não conseguimos  colocar um jornal-falado no ar? Seguramente que a resposta está nos custos. Para montar um noticiário em grande estilo a que se investir em jornalistas, radialistas e todo material de apoio. Os empresários do ramo dirão que não terão o retorno devido para o investimento. Mas, será que se algo for feito com esmero, conseguir bons índices de audiência comprovada, contando com  uma equipe de vendas gabaritada, não conseguiria arrancar do mercado os recursos necessários para manter a programação no ar! De qualquer forma, sinto falta de algo assim na maior parte do rádio brasileiro.